DiVERSA Ivory | Edição: Vasco dos Santos
Diversa

diVERSA. O projeto português que veste a camisola pela saúde mental

Ivory é um projeto português de saúde mental, que vai muito além das roupas e acessórios com mensagens de alerta. É o empurrão para pedir ajuda.

Pequenas frases, com grande significado, estão inscritas ora numa t-shirt, ora numa tote bag da Ivory, projeto que surgiu no ano da pandemia e que, desde então alerta, de forma interventiva, para os problemas de saúde mental. 

Francisco Soares Ganso, o fundador, sofreu o primeiro ataque de pânico quando andava no 10.º ano, mas acabou por não dar grande atenção ao sinal de que algo de errado se passava. O problema de saúde mental voltou então a manifestar-se mais tarde, noutra fase da vida e com outros sintomas.  

"Há quatro anos, comecei a ter uma ansiedade constante, ao ponto de não conseguir dormir”, conta Francisco, de 25 anos, à Versa. “Basicamente, punha muita pressão em mim mesmo. Cresci num ambiente do género: tu avalias o número de mulheres com quem te envolves. Era um ambiente de masculinidade, de competição”, continua.  

O início da vida adulta começou com esta “quase obsessão por estar com mulheres” e de obter a melhor performance, ao ponto de ficar extremamente ansioso sempre que se envolvia sexualmente com uma mulher.

"O pico foi quando não conseguia dormir. O meu cérebro estava sempre ligado e comecei a tomar compridos para dormir", diz Francisco.

Em 2019, decide consultar um médico de medicina geral e não um psicólogo por pensar que esses eram só "para os fracos”. Mas não são e mais tarde Francisco percebo-o.  

Hoje, quer passar essa mesma mensagem e para tal criou em 2020 o projeto Ivory, de roupa e acessórios com mensagens especiais, que fazem a ponte para o incentivo necessário a quem precisa de ajuda.  

"Quando finalmente ganhei coragem para pedir ajuda, fiquei ‘uau, só gostava de ter começado mais cedo’. Foi por isso que comecei este projeto. Sentia falta de algo que me motivasse a fazer terapia mais cedo. O nosso objetivo com as peças de roupa é espalhar a mensagem", refere.  

Mas Ivory vai muito além do que está escrito em sweatshirts e acessórios.

A ajuda que chega numa encomenda 

“Todas as pessoas que conheces estão a lutar contra uma batalha sobre a qual nada sabes”.  

Esta é uma das mensagens inscritas nas t-shirts e sweats da Ivory. É simples e toca a todos de uma forma diferente, no entanto, o foco da equipa da Ivory - também ela com um passado ou um presente marcado por desafios à saúde mental – não são as frases das camisolas, mas, sim, o que se lhes segue.  

"Dizerem que se está a falar muito sobre saúde mental é mentira. O que é que quero dizer com isto? Quando ouço notícias de que as empresas preocupam-se muito com a saúde mental ou que ficou na moda com a COVID-19, é tudo mentira. O que as pessoas falam é vago. Ninguém conta histórias. Uma pessoa que está realmente mal, como eu estive, não precisa de ouvir que tem de ir para o ginásio ou comer bem. Precisa de ouvir uma história parecida".  

O próximo passo da Ivory é criar um espaço de partilha de testemunhos através de uma app, precisamente para responder a esta lacuna. Até lá, o projeto pretende funcionar como um alerta e ainda dar apoio no âmbito da saúde mental. 

"Por cada encomenda que temos, a pessoa recebe um e-mail para marcar uma consulta. Porque o nosso objetivo é mesmo abrir as portas, fazer aquilo que eu não tive”, diz Francisco. "Sinto que muita gente compra uma peça da Ivory porque está mal, mas não está disposta a dar o passo seguinte para cuidar de si própria”.  

Se incentivo faltar, uma camisola Ivory aconchega e um e-mail dá o empurrão necessário para marcar uma consulta com um dos psicólogos da Ivory. Só é preciso enviar uma mensagem no Instagram ou enviar um e-mail.

Já as camisolas e tote bags 100% algodão orgânico e as capas de telemóvel – com frases pensadas por Francisco Soares Ganso e design criado por toda a equipa – podem ser encomendadas no site.

RELACIONADOS

Coolhunting

Welcome back! Cinco tendências do passado que estão de volta

Da minissaia às sandálias e botas plataforma, é altura de olhar para o passado e usar as tendências que dele regressam.

Diversa