livros lgbtqia
Design e Artes

Queer Book Club: os 5 livros que nos vão acompanhar no mês de junho

Nós sabemos que ler parece ser uma coisa do século passado, mas estas obras valem cada página.

Assim como no cinema, os livros são janelas para novos mundos, novas realidades, novas perspetivas. Em junho estamos a celebrar o mês do Orgulho Gay e nada melhor do que uma leitura para nos educarmos. Os dias de praia estão aí e um livro de baixo do braço é a melhor companhia.

O Quarto de Giovani, de James Baldwin

Esta narrativa é focada num triângulo amoroso entre um casal heterossexual e um caso homossexual. A complexidade da sexualidade, a moralidade e a repressão são os três temas abordados nestas páginas. James Baldwin foi uma das vozes mais importantes do Movimento dos Direitos Civis, era um homem afro americano abertamente queer nos anos 50 e 60 e este livro revela a sua dedicação ao ativismo.

Boy Erased, de Garrand Conley

Pode até parecer um argumento de filme, que o foi na realidade, mas as terapias de conversão são reais e, infelizmente, ainda acontecem. Boy Erased é uma autobiografia que nos dá a conhecer a realidade de Conley, filho de um padre, que sempre escondeu a sua homossexualidade, mas assim que o pai descobre que o filho é gay, Garrand Conley é forçado a entrar num programa que prometia curar a sua homossexualidade. Este livro é, por vezes, um murro no estômago, mas ao mesmo tempo uma leitura obrigatória.

Horto de Incêndio, de Al Berto

Talvez, desta lista este seja o livro que mais nos vai abalar o âmago do nosso ser. Há urgência nestes poemas e há tristeza profunda. Esta obra representa os infindáveis paradoxos da vida humana, arrisco até a dizer que é o maior exemplo da poesia contemporânea portuguesa. “Fechamos os olhos sabendo que este é o maior engano da eternidade.”

O Retrato de Dorian Gray, de Oscar Wilde

Este é um clássico que merece ser lido com muita atenção, não porque seja complicada a sua leitura, mas porque muita coisa se encontra por entre linhas. Esta história é sobre um homem que não envelhece enquanto o seu retrato oculto envelhece. O contexto LGBTQIA+ está lá, ainda que de forma subtil, mas se não apanhar as refrências à primeira, uma segunda leitura nunca fez mal a ninguém.

Detransition, Baby, de Torrey Peters

Este livro explora, numa ficção repleta de humor, a maneira como a identidade de género, a maternidade e o sexo têm a capacidade de alterar por completo a vida de três mulheres. É um obra corajosa e poderosa, que navega entre os muitos tabus associados à transexualidade de uma forma criativa e envolvente.

RELACIONADOS

Gourmet

Quer-se o vinho gelado, mas não é preciso gelo nem um frigorífico

Um truque que pode mudar vidas, pelo menos a vida dos amantes de vinho.

Design e Artes