Marshmellow Fabrics | Fotografia: D.R.
Design e Artes

“Aconchegados por algo fluffy” é a sensação destes lençóis portugueses

Dormir na roupa de cama da marca portuguesa Marshmellow Fabrics é como mergulhar dentro de um marshmallow. Nunca ninguém experimentou, até agora.

Quando chegamos a um quarto de hotel, mais do que verificar a vista ou a casa de banho, vamos diretos à cama. Afinal, é para isso que ali estamos, para dormir, e não há nada como um bom colchão de hotel. Mas porque será que os lençóis não têm a mesma reputação? Ora a Marshmellow Fabrics nasceu para mudar isso.  

É uma marca portuguesa de roupa de cama (lençóis, edredons, cobertores, almofadas) e toalhas de banho, que, apesar de nova, já tem muitos anos de história. A Marshmellow Fabrics faz parte da Lintexport, uma empresa familiar lisboeta dedicada ao setor têxtil e fundada por Alfredo Henrique Pinto em 1967, tendo passado pelos momentos mais marcantes da história de Lisboa, desde o 25 de Abril ao Grande incêndio do Chiado.

Resiliência é a palavra que melhor define a empresa, assim como o know how e a experiência, receita que motivou dois jovens a criar a nova marca Marshmellow Fabrics.  

Um deles é o neto do fundador da Lintexport, Bruno Pinto, que aos 33 anos continua o legado do avô e já pensa nas próximas gerações, estando à espera do primeiro filho em novembro. Com ele está o sócio e amigo Bernardo Bello, de 32 anos, formado em Gestão, curso que aplica em vários projetos tecnológicos e no atual negócio de e-commerce de têxteis. 

Mas como é que os dois se juntaram? 

“A ideia de lançar a Marshmellow Fabrics surgiu de uma longa amizade entre o nós. Fomos colegas de faculdade, sempre partilhámos bons momentos e discussões sobre o futuro e ao longo dos anos fomos amadurecendo a ideia de criar um negócio que refletisse os nossos valores comuns: qualidade, sustentabilidade e tradição”, contam. 

Bruno Pinto e Bernardo Bello, fundadores da Marshmellow Fabrics 

Com estes três pilares em mente e o know how da Lintexport, bastou perceber que havia uma crescente procura no mercado por têxteis ecológicos e de alta qualidade para pôr mãos à obra e através da Marshmellow Fabrics trazer “o conforto e a sustentabilidade dos têxteis portugueses a lares de toda a Europa”.  

E se em vez de chá para dormir for um marshmallow?

Há quem tenha o hábito de tomar um chá relaxante antes de dormir para uma noite mais tranquila, método que, apesar de válido, pode estar prestes a ser substituído. Por que não um marshmallow em forma de almofada ou lençol da Marshmellow Fabrics para dormir melhor? Segundo Bruno e Bernardo, tem todos os ingredientes na dose ideal.

Os artigos são feitos com materiais certificados pelo OEKO-TEX, que garante que são ecológicos e seguros para a saúde, são 100% feitos com algodão e produzidos no norte de Portugal através de métodos de produção tradicionais. 

Tudo isto contribui para a máxima qualidade dos produtos e para que o principal objetivo da Marshmellow Fabrics seja atingido.

“O nosso objetivo é trazer o conforto de um hotel para a casa das pessoas”, dizem os fundadores. 

Para além do conforto, o design dos artigos é tal e qual um marshmellow, desde o rosa pastel dos lençóis ao tom cru da capa de edredão. No fundo, tudo é feito para o mais doce dos sonos.  

"A inspiração está no que sentimos quando olhamos para um marshmallow: aconchegados por algo fluffy, por algo que nos fascina em termos de conforto e textura, de cor e de atenção ao detalhe".  

 

Uma nova dose de açúcar 

O açúcar do marshmellow desta marca portuguesa é dos mais saudáveis que por aí vemos por promover o bem-estar através de uma boa noite de sono. Desta forma, novas doses de açúcar estão para breve, no entanto, pouco revelam Bruno e Bernardo.

Para já, à VERSA contam apenas que estão focados em tornar a marca numa das “referências no setor têxtil na Europa". 

Os artigos da Marshmellow Fabrics podem ser encontrados no site da marca e também podes espreitá-los na galeria de imagens.  

Evasão

Não te confundas: esta é "a cascata mais bonita do Alentejo"

Pode ser um desafio explorar Portugal por existir tantos lugares bonitos e tão escondidos. É o caso deste refúgio natural único, menos no nome.

Design e Artes