William Klein Fotografia: Getty Images
Design e Artes

William Klein: A moda e a eletricidade da cidade a preto e branco

O fotógrafo, cineasta e pintor norte-americano morreu esta semana aos 96 anos. Tornou-se um dos nomes mais centrais da fotografia mundial graças à irreverência na altura de captar as imagens.

Foi fotógrafo, cineasta e pintor. William Klein morreu na segunda-feira, aos 96 anos, em Paris, cidade onde viveu por mais de 60 anos. Conhecido pelas suas fotografias a preto e branco, Klein foi um dos precursores da fotografia de rua, ao captar imagens aproximadas e desfocadas dos seus sujeitos a preto e branco. 

Nascido em Nova Iorque, no seio de uma família judaica ortodoxa, durante a juventude alistou-se no exército norte-americano, combatendo na Segunda Guerra Mundial. Esteve destacado na Alemanha e depois em França, acabando por se mudar para aí.

Klein, que começou por entrar no mundo das artes como pintor, estudou pintura na universidade Sorbonne em 1948, sob a supervisão de Fernand Léger. Tornar-se-ia fotógrafo depois de conseguir a primeira câmara fotográfica num jogo de poker.

Nos anos 1960 fez várias sessões fotográficas para a revista Vogue, trazendo para o mundo da moda uma abordagem nova, retrarando os modelos no meio das cidades, rodeados de gente. Com os seus livros-ensaios sobre cidades como Paris, Tóquio, Moscovo e Roma viria a consolidar-se como um dos fotógrafos mais influentes do seu tempo.

Anos antes, em 1956, com o lançamento do livro Life is Good & Good for You in New York, que foi um êxito em França mas mal recebido nos Estados Unidos, estava dado o arranque para uma carreira transgressora no mundo do antigo cânone fotográfico.

Além de fotógrafo e pintor, Klein foi também cineasta. 'Broadway by Lights' (1958) foi considerado por Orson Wells o primeiro filme a de facto ter de ser gravado a cores. Mais tarde, filmou o pugilista Muhammad Ali em 1964, imagens que deram origem ao documentário 'Cassius the Great'. Em 1982 assinou 'The French', um documentário sobre o  Grand Slam de ténis Roland Garros.

Klein conheceu a sua mulher Jeanne Florian, em Paris, aos 18 anos, tendo vivido juntos até 2005, ano da sua morte. 
 

 

RELACIONADOS

Gourmet

Os novos pratos do Boa-Bao levam-nos numa viagem ao nordeste da Tailândia

A região de Isaan é o destino que inspira os novos pratos do restaurante pan-asiático.

Design e Artes