A vista da Quinta de Ventozelo sobre o Douro Fotografia: Sebastião Almeida
Evasão

48 horas no Douro: O que ver, onde comer e onde ficar

Se só tiver dois dias para conhecer a região, deixe-se levar pelas suas paisagens, a sua gastronomia e, claro está, o seu vinho. Estas são as nossas sugestões.

O que ver

Se só puder passar 48h no Douro, sugerimos que comece o roteiro por Amarante. Uma visita à Casa de Mateus é a melhor forma de conhecer a história desta família e da casa típica da nobreza dos séculos XVII e XVIII.  Aqui, poderá ainda fazer uma prova de vinhos, visitando ainda os jardins da propriedade cuja construção é atribuída a Diogo Álvares Mourão, que também mandou erigir a casa. 

O miradouro de São Leonardo de Galafura oferece uma vista privilegiada sobre o rio Douro, estando apenas a 30 minutos da Régua. Outro dos pontos de interesse é a Fundação Eça de Queiroz, sediada na Casa de Tormes, em Baião.  Este é o cenário que mistura realidade com ficção em A Cidade e as Serras. 

Caso queira conhecer melhor os vinhos da região, uma visita à Quinta do Vallado permitirá ficar a perceber mais sobre a tradição vitivinícola do Douro e provar alguns dos seus vinhos mais característicos. 

O Museu do Côa, inserido no Vale do Côa, projetado por Camilo Rebelo e Tiago Pimentel, arquitetos do Porto, aflora a arte paleolítica presente no vale e a cultura vitivinícola, sendo possuidor da maior biblioteca nacional dedicada à arte rupestre.

Onde comer

O Douro é uma região rica em tradição gastronómica, não sendo, portanto, difícil cruzar-se com boas opções para encher a barriga. Caso decida ficar instalado na Quinta de Ventozelo, a Tasca da Raposa, um restaurante familiar com uma loja de vinhos, é uma das melhores opções na região. A Cantina de Ventozelo, restaurante da quinta onde são servidas todas as refeições, é igualmente uma aposta segura. Com consultoria de Miguel Castro e Silva, há sempre uma sopa, um prato de carne, outro de peixe e sobremesas. As guarnições, essas, acompanham a sazonalidade. Ao almoço, de segunda a sexta-feira o almoço é servido num menu de €40 (ao fim de semana, são servidos pratos confecionados em forno de lenha, num menu que se fixa em €45).

Se acabar a ir para os lados de Covas do Douro, o Terraçu’s, restaurante da Quinta Nova de Nossa Senhora do Carmo tem menus de degustação de três e cinco momentos, elaborados pelo chef André Carvalho. Na Régua, o restaurante Castas e Pratos, localizado na estação de comboios, dá a conhecer os melhores sabores e os vinhos mais singulares da região.

Onde dormir

Para dormir, aposte na Quinta de Ventozelo, um enoturismo composto por 29 quartos, em que se “encontra o Douro numa quinta”. Outra das nossas sugestões é a Quinta Nova de Nossa Senhora do Carmo, a primeira propriedade a apostar no enoturismo, tendo remodelado todos os seus espaços interiores em 2020. A Winery House, uma casa senhorial oitocentista, dispõe apenas de 11 quartos, fazendo-nos recuar no tempo e imaginar como viviam as famílias nobres da região no século XVIII e XIX. 
 

RELACIONADOS

Nécessaire

Envelhecer é a nova fórmula de juventude. Contraditório? Jane Fonda explica

O lado inverso de qualquer ideia pode ser muitas vezes a explicação da mesma. E quem o demonstra é Jane Fonda, enquanto explica o processo de envelhecimento.

Evasão