YSL
Design e Artes

Já não precisamos de ir a Paris ou Marraquexe para descobrir o legado de YSL

A paixão de Yves Saint Laurent por Marrocos em exibição em Évora

Após dois anos de encerramento e de obras de renovação, o Palácio dos Duques de Cadaval em Évora reabre com uma das mais aguardadas exposições do ano. LOVE “Marrakesh opened my eyes to colour” mostra perspetivas diferentes sobre a paixão de Yves Saint Laurent por Marrocos, país que o inspirou pelas suas cores e tradições.

Na Igreja de São João Evangelista, são exibidos 15 coordenados, num trabalho de pesquisa que combina diferentes peças, criadas por Yves Saint Laurent entre os anos 1970 e 1990. Uma experiência imersiva que amplifica o papel do criador como grande colorista no universo da moda, revelando os ricos e variados laços que uniram o conceituado designer de moda e o Reino de Marrocos.

Segundo Stephan Janson, curador desta mostra, “há uma poesia intemporal na obra de YSL. Ele sempre navegou entre os clássicos, do bege ao azul marinho, passando pelos pretos e pelos vermelhos, mas foi depois da sua primeira visita a Marraquexe, em 1966, que se assistiu a uma transformação cromática que teve origem na malha humana, na luz da cidade”. Sobre as peças eleitas para esta mostra, o curador acrescenta: “Quando este projeto surgiu vim ver a igreja que é linda e foi fácil escolher as peças para esta exibição. O que gosto de reforçar é que não são só as mulheres muçulmanas que usam véus, as nossas avós nunca entravam numa igreja sem o lenço. Hoje os políticos e a economia mundial tentam que sejamos todos diferentes, mas aqui olhamos para o amor. E o que procurei mostrar é que todas as peças de YSL são intemporais, ele construía guarda roupas e não apenas peças para uma estação”.

A exposição tem um outro capítulo que mostra os cartões LOVE de YSL (que desenhava a cada natal e imprimia para os amigos) e a forma como inspiram a criação e a arte contemporânea marroquina. Com curadoria de Mouna Mekouar e patente no coração do Palácio dos Duques  de  Cadaval,  transporta  os  visitantes  numa  viagem à descoberta  da  cena  artística contemporânea de Marrocos e das influências partilhadas pelos artistas contemporâneos e Yves Saint Laurent. A visão criativa de Saint Laurent –sobretudo o seu uso ousado da cor e do espaço –está presente nos trabalhos dos 13 artistas marroquinos, oriundos de diferentes gerações e disciplinas.

“Em Marrocos percebi que a  minha  gama  de  cores  é  a  dos  zelliges, zouacs, jelabas e cafetãs. A ousadia do meu trabalho a partir de então, devo-a a este país, às suas pujantes harmonias, às  suas  arrojadas combinações,  ao  fervor  da  sua  criatividade.  Esta cultura tornou-se minha, mas não me  limitei  a  absorvê-la;  peguei  nela,  transformei-a, adaptei-a. A minha primeira vez em Marraquexe foi como que um abanão: A cidade abriu-me os olhos para a cor», disse Yves Saint Laurent após a sua primeira viagem à lendária cidade marroquina em 1966. 

A exposição está patente no Palácio dos Duques de Cadaval em Évora de 5 de junho a 31 de outubro de 2022.

RELACIONADOS

Um livro de lifestyle no século XIX? As praias portuguesas de Ramalho Ortigão

Retrato de época e da frequência da época balnear portuguesa em finais do século XIX, mas também um guia histórico e geográfico sobre as mesmas, num clássico da literatura de viagens – um absoluto must-have em qualquer biblioteca elegante, ou um livro para levar de férias.

Design e Artes