Cerveja. Fotografia: Unsplash
Gourmet

Uma imperial sabe bem, mas a cerveja mais cara do mundo pode saber melhor

Quanto davas pela cerveja mais cara do mundo?

Para a maioria dos portugueses, a escolha de uma cerveja tende a ser uma escolha simples e há sempre os que são fieis à Super Bock e outros tantos à Sagres. Com pouco mais de um euro, deleitamo-nos com uma imperial fresquinha e há poucas coisas que nos sabem melhor, num final de tarde quente. 

Mas e se nos dessem uma cerveja bem mais gelada do que a que estamos habituados e nos dissessem que era uma iguaria rara? Experimentávamos. E se tivéssemos que pagar mais de mil euros por um gole desse néctar dos deuses? Muitos ficavam pela imperial do café de esquina.

Estamos a falar de uma cerveja produzida com água da Antártida, mais concretamente com o gelo de icebergs. Uma raridade, não apenas pela produção peculiar, mas porque apenas 30 garrafas foram produzidas, sendo, por isso, vendidas em leilão e podem ultrapassar os 1700 euros por 500 ml de bebida. Parece caro demais para algo que vai bem com tremoços, mas o valor arrecadado nas vendas desta cerveja é destinado a uma organização que se dedica à preservação de baleias na Antártida.

Ainda que a vertente solidária tenha um peso na nossa decisão, acredito que não nos atrevemos a pagar tanto, num país onde encontramos das cervejas mais saborosas (ainda que não haja estudos que sustentem a minha afirmação, estou confiante que a maioria concorde comigo).

 

RELACIONADOS

Gourmet

Pelo bolo de chocolate mais caro do mundo, fazias uma viagem até ao Reino Unido?

Iria até ao fim do mundo. Por um bom bolo, fazia tudo.

Gourmet