O cozido à portuguesa do JNcQUOI Avenida Fotografia: DR
Gourmet

Cozido à portuguesa: cinco restaurantes onde provar o prato tradicional

Se já tens saudades de um dos pratos mais tradicionais da gastronomia, as sugestões que deixamos abaixo são para ti.

Domingo Rodrigues, cozinheiro da Casa Real e autor do primeiro livro de cozinha no país, Arte de Cozinha, publicado em 1693, referia-se ao típico e afamado cozido à portuguesa como ‘olha podrida’, uma variação do termo em espanhol. No século XVII, o cozinheiro escrevia que “punha-se numa panela a cozer um pedaço de vaca muito gorda; uma galinha, uma ave, uma perdiz ou pombos (...) uma orelha ou pá, se for tempo de porco, chouriços, linguiça e lombos de porco, tudo misturado com nabos, três cabeças de alhos grandes, grão, duas ou três dúzias de castanhas e sal”, lançando as bases de uma das criações mais transversais da gastronomia nacional. Com o passar dos anos, este prato foi evoluindo, sendo-lhe conferido particularidades consoante a região do país. Em Trás-os-Montes, a título de exemplo, há quem junte alheira ao cozido; no Alentejo, o cozido não leva galinha e, no Algarve, utiliza-se batata-doce e hortelã. Com a chegada do tempo mais frio, o cozido à portuguesa regressa à mesa dos restaurantes um pouco por todo o país e nós dizemos-te onde ir, em Lisboa, para saborear esta iguaria.

O Jacinto
Localizado em Telheiras, é outro dos restaurantes históricos da cidade. Servido em travessas, o cozido à portuguesa do Jacinto custa €18,50. À segunda-feira, o dia em que chega às mesas dos comensais, é recomendado reservar – tal é a procura.

Adega Tia Matilde
Disponível durante todo o ano, é sempre servido à terça-feira. O cozido da Adega Tia Matilde (€18,50) é bem composto, com tudo a que tens direito.

Solar dos Presuntos
É uma instituição gastronómica da cidade e do país e, à quarta-feira, é sempre dia de cozido ao almoço. Confecionado com os melhores produtos regionais, o cozido à portuguesa do Solar dos Presuntos é genereso e custa €23.

Pica-Pau
Um dos novos projetos de Luís Gaspar, chef da Sala de Corte no Cais do Sodré, é uma homenagem à cozinha tradicional portuguesa. Como tal, há sempre um prato do dia com propostas apetecíveis como açorda de gambas, mão de vaca com grão ou arroz de cabidela. À quinta-feira, porém, é dia de cozido à portuguesa (€12).

JNcQUOI Avenida
Está de regresso o cozido à portuguesa do JNcQUOI Avenida. Todos os últimos domingos de cada mês é dia de provar este prato com autoria do chef António Bóia. Com o preço de €38 a dose, é guarnecido com orelha de porco, entremeada, chispe, cabeça de porco, galinha, carne de vaca e todos os ingredientes tradicionais. Aconselha-se reserva.
 

RELACIONADOS

Coolhunting

Além-tendências: a cor rosa tem um novo nome e é Valentino 

La vie en rose de Valentino. Já não falamos de um desfile imerso numa cor, mas de uma identidade com expressão global.

Gourmet