Sala de Corte
Gourmet

Sala de Corte, o paraíso na Terra para quem aprecia muito boa carne

A Versa sentou-se à mesa do restaurante e conta agora tudo na primeira pessoa. Uma experiência gastronómica para mais tarde recordar.

Já todos os meus amigos me tinham falado maravilhas da Sala de Corte, dizendo coisas obscenas que me deixavam a salivar. Para quem é apreciador, ouvir coisas do tipo “uma carne com 40 dias de maturação” é igual a ouvir um qualquer soneto clássico da literatura portuguesa. Desculpem este meu entusiasmo, até me devem estar a achar um parvo qualquer por fazer esta comparação, mas o que posso eu fazer?

Mas, se uma ida normal ao restaurante é sempre uma boa escolha, espera até te dizer que, atualmente, o Sala de Corte está com um menu de raças autóctones portuguesas. Esta iniciativa tem como principal objetivo enaltecer e promover o produto nacional. De 15 em 15 dias, a oferta do restaurante cresce para lá da carta habitual, disponibilizando uma raça autóctone portuguesa – nas primeiras semanas desta iniciativa houve Maronesa DOP e Barrosã.

"Quisemos valorizar as raças autóctones portuguesas, que fazem parte do património gastronómico do país, mas também os produtores locais. É preciso ter muita dedicação e respeito pelo ciclo de vida do animal para o criar e manter durante 10, 15 ou até 20 anos, que é o caso das vacas que temos disponíveis para o cliente nesta experiência”, explica Luís Gaspar, o chef, em comunicado – infelizmente, a Covid-19 tirou-me a oportunidade de fazer uma vénia ao chef que fez do meu almoço um paraíso na Terra.

Esta minha experiência começou com um cocktail-chave da casa, o Pisco Sour com Alecrim Fumado. E seguiu-se um tártaro de Novilho e aqui tenho que confessar que vi a minha vida a andar para trás – aqui me confesso, não adoro tártaros, mas também não sou pessoa de dizer que não gosta sem antes experimentar. Atirei-me, com muito cautela, à iguaria e uma garfada bastou para tirar as minhas conclusões: carne crua totalmente crua não é para mim; mas o tempero deste tártaro era divinal. O momento da verdade dá-se quando na mesa nos deixam um grande, vistoso e bem suculento naco de carne, que esteve a ser maturada durante 40 dias.

Como um bom garfo que acho que sou, não há refeição sem sobremesa e, por isso mesmo, das três opções que nos chegaram à mesa, a Pavlova levou a taça de melhor sobremesa – uma votação unânime, é preciso reforçar.

Além deste menu especial, a carta tem novidades que merecem ser experimentadas como como o Foie Gras, brioche, maçã caramelizada com baunilha e vinho Madeira nas entradas, a Burrata DOP, tomate cereja, manjericão e pinhão, o Cocktail de Camarão e uma nova versão do Tártaro de Novilho; o Surf & Turf traz a possibilidade de se acompanhar o corte escolhido com carabineiro, e há ainda Arroz de forno com enchidos do fumeiro, a Trufa de chocolate e a Tarde de Queso.

Sala de Corte
Praça Dom Luís I 7, 1200-148 Lisboa
saladecorte.pt

RELACIONADOS

Design e Artes

Nova curta de Almodóvar inspira-se em fado de Amália Rodrigues e tem ator português no elenco

Extraña Forma de Vida é o título da nova curta-metragem do cineasta espanhol que começa a ser rodada em agosto.

Gourmet