Rocco
Gourmet

Há restaurantes… e depois há o Rocco

E tem só o WC mais elegante de lisboa!

Devíamos começar pelos sabores mediterrânicos, devíamos e já lá vamos. Mas numa visita ao Rocco é impossível ficar indiferente à casa de banho – para nós uma das mais elegantes e se quisermos instagramáveis de Lisboa. O espaço sob o teto curvo forrado a tecido floral, tem no centro um imponente lavatório em pedra italiana Calacata, em torno do qual retoques e segredos são ultimados. Nas extremidades, as portas espelhadas das cabines individuais dão mais profundidade ao espaço, num jogo de reflexos ilusórios. O pavimento em pastilha colorida, com desenho floral, e os motivos botânicos das paredes dos espaços individuais perpetuam o nosso espanto.

Em pleno coração de Lisboa, no no piso térreo do The Ivens Hotel no Chiado, o Rocco é um um restaurante com influências Mediterrânicas e italiana, dividido em três áreas: Gastrobar, Crudo Bar e Ristorante. A decoração de todo o restaurante resulta da parceria criada entre a Plateform e o designer de interiores Lázaro Rosa-Violán, e combina com a atmosfera única que este projeto traz a Lisboa: vibrante, festiva e sofisticada, com inspiração na costa Amalfitana e nas suas tradições, mercados e essência. Os padrões florais, as cores fortes, os apontamentos de excentricidade e os múltiplos focos de iluminação — ora dramáticos, ora intimistas — prendem o olhar de quem chega, permanentemente captado pela envolvência sedutora e teatral, que junta diferentes escalas, texturas e estilos.

A imponente escadaria de mármore negro, atapetada a vermelho, dá-nos as boas-vindas e transporta-nos do reboliço da cidade para a agitação do Rocco. A garrafeira vertical, com centenas de referências, cobre duas paredes do espaço, partindo do pavimento axadrezado em mármore até aos tetos altos e adornados. As outras paredes são pontuadas por enormes janelas através das quais a luz invade a sala. Pelo caminho, as plantas dispostas nas grandes janelas dinamizam a iluminação, num trabalho conjunto com os espelhos presentes nas paredes, na garrafeira e sobre o bar, em harmonia com a madeira, também muito presentes. A “coroar” o Gastrobar, há uma garrafeira suspensa sobre o balcão central, em torno do qual se distribuem os 17 lugares, ao longo da barra oval. Nas mesas junto às janelas, há mais 16, com diferentes padrões e texturas baseadas em estampais florais. A acompanhar os cocktails clássicos e os vinhos (nacionais ou internacionais) a carta acolhe clássicos internacionais e sabores mais portugueses, numa experiência gastronómica mais informal. Petiscos frios e quentes, pratos mais generosos (como Bacalhau à Brás, Robalo com risotto alle vongole, e Bife Rocco), pastas frescas e risottos, saladas e sanduíches e ainda a charcutaria e os queijos, fazem deste bar delicatessen, um espaço versátil e com oferta para todos os gostos. O mar também chega ao Gastrobar, seja com as Ostras do Sado, o Lavagante ao Natural, o Caranguejo do Alasca ou o Cocktail de Camarão.

Já no Crudo Bar o anfiteatro com vista para o bar culmina no balcão com 9 lugares e enquadra uma experiência sui generis, a começar pela distribuição de 25 assentos pela escadaria ascendente, a fazer lembrar a costa italiana. É a área mais intimista do Rocco, emoldurada por fotografias que fazem lembrar as viagens, a praia, os dias compridos e a festa! É no topo, para lá do dito balcão — cuja frente nos deixa adivinhar que o mar chega ali pelo seu revestimento em azulejos manuais com altos-relevos de crustáceos — que acontecem algumas preparações e empratamentos. O menu é comum ao Gastrobar e combina terra e mar, numa viagem gustativa que acompanha na perfeição com Espumante e Prosecco.

No Ristorante a inspiração italiana faz-se sentir para lá dos sabores que chegam à mesa. Os acabamentos em madeira, os azulejos, as paredes e tetos, pintados a cor mostarda e cor de vinho, os motivos florais, o mobiliário e os elementos decorativos bem como as coleções de quadros que decoram o espaço casam na perfeição com o aroma característico e convidativo de uma cucina típica italiana .À entrada, num espaço de superfícies revestidas a azulejo cerâmico manual vidrado de cor negra, a grelha e a câmara de maturação dão as boas-vindas e estendem a sua energia a todo o restaurante: o fogo que emana torna o ambiente mais acolhedor e é de lá que saem o Polvo, o Lavagante e o Lombo. É “protegido” por um exuberante balcão com 4 lugares, revestido a madeira e pedra mármore. Os restantes 52 lugares distribuem-se harmoniosamente pela luminosa sala, também ladeada por uma garrafeira, e culmina com a já referida cucina italiana. O balcão de saída, cuja frente é trabalhada com diferentes pedras, é completado com uma estante suspensa em ferro e vidro. É fácil espreitar a cozinha e acompanhar a ação em torno dos clássicos Linguine de Lavagante, Ravioli de Sapateira, Cotoletta di Vitello alla Milanese ou o Tagliatelle ai Funghi e Tartufo em roda de Pecorino, entre outros.

RELACIONADOS

Gourmet

Versa, apetecia-me algo! E que tal os novos cocktails do Palácio Chiado?

Com a chegada dos dias mais longos, aquilo que vai mesmo a calhar é um bom cocktail. O Palácio Chiado apresentou a sua nova carta e a Versa esteve lá para experimentar tudo.

Gourmet