Vinhos para 24 de dezembro
Gourmet

Dia 24 de dezembro... do outro mundo

A estreia de Cláudio Martins na VERSA com crónicas sobre o universo dos vinhos.

Desde sempre que me lembro da azáfama que se respirava nos últimos dias que antecipavam a véspera do nosso Natal, assim como da preparação da Ceia com as batatas e o célebre bacalhau. Os tios que chegavam de Londres, os primos todos que se reuniam à lareira e o cheiro da madeira depois de ardida, a mãe, as tias e a avó que organizavam quem comprava o quê e quando e quais eram as 557 sobremesas que iam ser cozinhadas e todas certamente celebradas à mesa na noite da Consoada. Tudo a bem da dieta portanto… só que não.

O jantar lá decorria com mais ou menos pompa e circunstância e sempre com muita alegria, assim como muitos grelos e bacalhau. O belo do bacalhau, e sempre muito. Com as postas de lombo demolhadas em leite, dizia o meu pai que lhe sabia sempre melhor. Azeite da terra, claro.

As histórias repetidas ao longo dos anos, mas contadas sempre de forma diferente e em alto e bom som (porque o nível dos decibéis da família eram sempre elevados, todos falavam e todos partilhavam). Éramos sempre entre 25 a 30 pessoas à mesa e que bem que estávamos todos em família e em união.

Durante a minha curta estadia em Londres (20 anos), todos os meus regressos a São Romão (Serra da Estrela), pela altura do Natal, traziam sempre novas ideias para a confeção daquela refeição tão importante para todos nós e, presumo, para maior parte dos portugueses, dizendo que se calhar era interessante cozinhar o bacalhau de forma diferente. Porque não assado à lareira? Para fazermos umas entradas, foie gras, ostras, e esses "pitéus" que todos nós gostamos, mas a cara de surpresa de alguns elementos familiares, que ficavam a olhar para mim como se eu você um alien, não me favoreciam as tentativas de mudança em nada, mal sabiam eles que eu gostava de coisas do outro mundo.

Com o passar dos anos, a paixão pela gastronomia foi crescendo e o amor pelo vinho e tudo o que o rodeia ainda ao dia de hoje é cada vez maior. A vontade de criar uma "Consoada de Natal" do outro mundo está num crescendo em mim e, se conseguir usufruir dessa Consoada pelo menos uma vez na vida, irei com certeza ser feliz.

Por isso, convidei um dos meus chefes favoritos, Miguel Rocha Vieira, para desenharmos esta verdadeira Ceia de Natal. Para que seja uma noite de celebração à mesa, do bem estar e do estar bem. Da harmonia e do amor. Da família. Mas vamos ao que interessa, que é a ementa:

 

Pequeno almoço

Ovos mexidos com creme fraiche e trufa preta

Pão de forno a lenha

Sumo de laranja de valência

Café kopi luwak

Champagne B de Boerl & Kroff Vintage 2012, Champagne, França, isto às 9 da manhã.

 

Almoço

Cabrito estonado em forno a lenha com batatas "la bonnotte"

Arroz de miúdos 

Depois de um Porto Branco meio seco tônico com uma zest de tangerina para abrir o apetite, adicionamos uma Coche Niepoort 2020, seguido de uma bela garrafa, ou duas, Grande Rocim tinto 2018, Herdade do Rocim.

 

Tea-time

Brioche torrado com manteiga e ouriços do mar

Blinis com nata agria e caviar albino

Tostas com bottarga e zest de limão

Já dizia Napoelão Bonaparte, Bebemos champagne nas vitorias e, principalmente, nas derrotas, como ninguém quer guerra e apenas queremos celebrar o amor e paz, seguimos com uma Champagne, desta vez com Dom Perignon P2 vintage 1998.

Pergunto eu, "são cinco da tarde, já é hora de trazer as tenazes e abrir aquela de 1963 que tanto se ri para mim? Ok, ok, deixemos para mais tarde." Abrimos, portanto, um Madeira Henriques & Henriques Solera Malmsey.

Pré- Jantar

Sashimi de toro de atum rabilho

Percebes das Berlengas

Ostras Amelie com limão

Carpaccio de vieiras com caviar cítrico

Esta frescura toda do mar requer mais bolhas, não acham?

Sai um Espumante Murganheira Espirit de La Maison Brut em Magnum, ah, e uma de Champagne Krug Ambonnay Vintage 1995.

Jantar

Bacalhau de linha (skrey) com molho de champagne e caviar beluga imperial

Bem, como não podemos agradar a gregos e troianos e todos temos diferentes palatos e gostos, segue a seguinte sugestão de vinhos, HAJA BACALHAU.

Muse de Miraval Rose 2021,

Corton Charlemagne Coche Dury 2003,

Vinhos Imperfeitos ‘I’ by Carlos Raposo 2018,

Denarius by Liber Pater 2015,

Uranus code 07 2021 by Wines from Another world.

 

Sobremesa

Tart Tatin com gelado de baunilha do Taiti

Hora das tenazes, Quinta do Noval Nacional 1963 - "my precious".

E o que é doce nunca amargou, podemos também abrir aquele Yquem de 1921 que tem muitas historias para contar, até porque o Santa Claus está a chegar e precisamos de receber os nossos convidados da melhor forma, não é verdade?

Night snack

Lobster rolls

Mini kobe beef burgers

10 mil calorias depois…nada melhor do que um reforço antes de ir dormir e, para ajudar a digestão, mais bubbles, Filipa Pato Nossa Solera Bruto.

Agora, façam o favor de ir descansar que o dia 25 também promete ser mais um dia de dieta forçada.

RELACIONADOS

Design e Artes

'Oppenheimer': o filme que conta a história da bomba atómica

Novo filme de Christopher Nolan, sobre o homem que inventou a bomba atómica, chega aos cinemas em 2023. Cillian Murphy, de 'Peaky Blinders', é o protagonista.

Gourmet