HOD
Coolhunting

Os anéis básicos para homem já eram. Descobre a HOD

A natureza alia-se ao design e o resultado são anéis que se entrelaçam nos dedos como uma videira.

Passamos horas a olhar para os ecrãs, mas dedicamos pouco tempo a observar as coisas mais simples. Mas é precisamente quando paramos para olhar à nossa volta, que muitas vezes surge um momento de inspiração. Foi o que aconteceu ao designer de ambientes Gonçalo Novais, que no meio de uma vinha na Fuzeta, em Olhão, se inspirou na criação de um negócio, mesmo no pico da pandemia.  

Como designer de ambientes, sempre adorei inventar coisas. E às vezes surgem-me do nada. Lembro-me que na pandemia estava na horta da minha tia e lembrei-me: Que engraçado olhar para as videiras e ver como elas se enrolam nos arames para se poderem agarrar, desenvolver, crescer e fazer uvas, etc”, conta Gonçalo à Versa. 

Apaixonado por este processo orgânico, o designer apercebeu-se que a natureza é raramente retratada na joalharia para homem. Normalmente, as linhas são direitas, rijas, e ao detetar esta lacuna no mercado, decidiu lançar a HOD.  

“Agarrei na parte mais ágil da vinha, que se emaranha nos arames, e decidi emaranhar à minha maneira”, começa por explicar Gonçalo Novais.  

“Como na altura estava confinado e não podia ir a nenhum sítio buscar material, agarrei em canas velhas. Medi e tinham exatamente a medida dos meus dedos. Espetei na terra, usei como moldes para as videiras e no tempo em que estive de confinamento em casa da minha tia, mais ou menos um mês e meio, tiveram tempo de crescer. Fui adaptando o crescimento à cana e assim criando o molde dos anéis que se conhecem hoje”, continua. 

A HOD - House of Darlust, inclui nesta coleção quatro anéis em prata, com uma textura rugosa para tornar ainda mais realista a sensação de se ter uma videira entrelaçada nos dedos. 

Não deixa de ser curioso termos conhecido a HOD num evento dedicado à apresentação do novo vinho da João Portugal Ramos Vinhos. O ambiente natural para se refletir sobre a forma como a natureza pode levar à produção de um vinho mas também a uma coleção de joalharia.

O próximo passo são pulseiras, por ser um dos acessórios mais usados pelos homens, reconhece Gonçalo, que também serão feitas com moldes naturais. “Os raminhos da videira não têm dimensão para dar a volta ao pulso. Então comecei a usar dois em um. Uma cresce por um lado, e outra crescer pelo outro. E entre as duas há uma forma orgânica de pulso”, explica.  

Contudo, a HOD pode não ser apenas para homem. Basta ver a musa do projeto, a tia de Gonçalo Novais, que usa os anéis nos dedos com tanta naturalidade, quanto o processo de crescimento dos ramos em volta de uma videira.  

 

RELACIONADOS

Design e Artes

Robbie Williams: 25 anos de música que fica no ouvido

Músico britânico vem à Altice Arena tocar os seus grandes êxitos. Os bilhetes estão à venda a partir de sexta-feira.

Coolhunting