Limão | Fotografia: Pexels
Nécessaire

Usar limão como desodorizante será uma boa ideia?

Há quem já tenha experimentado, mas um dermatologista explica as implicações do limão na pele.

Hoje em dia usamos um desodorizante sem pensar muito como é que chegámos a esta fórmula bastante mais avançada do que antigamente. No Império Romano, os homens colocavam almofadas com substâncias aromáticas nas axilas e hoje, em formato creme, spray ou roll-on, temos outro tipo de soluções que inibem o odor da transpiração.  

Contudo, há quem procure alternativas mais sustentáveis e naturais, livres de embalagens e de químicos, tendo-se lançado nas redes sociais uma ideia: usar limão como desodorizante.  

 

Apesar do balanço positivo de quem já tenha testado, a opinião de um dermatologista contactado pela Versa não é assim tão favorável ao uso deste fruto como desodorizante.  

É ou não uma boa ideia? 

Se olharmos apenas para o lado da sustentabilidade, não há dúvidas de que usar o limão como desodorizante evita o uso de embalagens de plástico e o seu consequente descarte. Mas sustentabilidade é também o que nos faz bem, e esse não é o caso.  

“O limão é um ácido que basicamente pode causar vários problemas de pele, nomeadamente uma coisa chamada dermatite de contato irritativa, que dá inflamação na pele e comichão e também pode criar manchas. Porque quando o sumo do limão na pele está em contacto com o sol, pode dar origem à chamada fitofotodermatose, ou seja, uma dermatose em que se fica mais pigmentado, como se fossem manchas castanhas”, explica o dermatologista Luís Uva, diretor clínico da Personal Derma.  

No caso de surgirem, as manchas podem ser tratadas, mas, alerta o especialista, é um processo difícil. “Com peelings ou despigmentantes, mas demoram às vezes meses a tratar, portanto, é complicado”, diz. 

Quem não deve mesmo usar  

Na opinião do dermatologista, ninguém deve usar o limão como solução para eliminar o odor da transpiração.

“Não é de todo recomendável para quem tiver uma pele muito sensível e muito clarinha, porque mais facilmente podem notar-se as manchas. O que não quer dizer que numa pele morena não possa também notar-se, que é o que acontece muitas vezes com a depilação nestes zonas”, explica.  

Existem alternativas naturais? 

O limão como desodorizante surge como uma solução mais natural relativamente aos desodorizantes que se encontram nas prateleiras do supermercado, todavia, mesmo sem recorrer a estes, nem ao limão, hoje  já há alternativas mais amigas do ambiente e da pele. 

No caso de soluções caseiras, eis algumas destacadas pelo dermatologista.  

“Os desodorizantes caseiros são possíveis – normalmente os ingredientes mais usados são o óleo de coco, pela forte hidratação, a manteiga de karité, que é um regenerador celular, e outros óleos naturais – portanto, por serem óleos hidratam a pele e reduzem o risco de alergias. No entanto, como altera o pH das axilas, pode não atuar diretamente no controlo do mau cheiro", alerta.  

Qual será então a melhor solução com ingredientes naturais?  

“Os desodorizantes veganos podem ser uma boa opção. São desodorizantes já testados e feitos por especialistas, adaptados a cada tipo de pele", sublinha o dermatologista.

Além disso, não são testados em animais, são feitos com ingredientes biológicos, pelo que, em formato líquido ou sólido, "podem ser uma boa opção para pessoas com uma pele sensível ou mesmo com alergias”, remata o dermatologista.  

RELACIONADOS

Coolhunting

Para cada noiva, um sapato para pisar o altar com confiança

Cada noiva tem os seus requisitos no que diz respeito ao calçado e, a pensar em todas, a Versa foi em busca de modelos que vão do clássico ao original.

Nécessaire