Tom Ford - Fotografia: Getty
Coolhunting

O restrito clube dos milionários tem um novo membro graças à Estée Lauder

A gigante mundial de beleza e cosmética Estée Lauder fez o maior acordo da sua história e o atual presidente executivo da Tom Ford também não vai ficar nada mal com o negócio.

Tom Ford entrou na Gucci em 1990, aos 29 anos, como designer de moda feminina e, quatro anos depois, foi nomeado diretor criativo, cargo que manteve por 10 anos. Nesta altura, as vendas do grupo Gucci subiram de 230 milhões de dólares para 3.000 milhões de dólares, o que tornou a empresa numa das marcas de luxo mais lucrativas do mundo.

Em 2005, lançou a sua própria empresa, a Tom Ford Beauty, com linhas de produtos de beleza, acessórios e óculos. Os perfumes e produtos de maquilhagem ficaram desde logo ao abrigo de um acordo de licenciamento com a gigante mundial de beleza e cosmética Estée Lauder, que é também proprietária dos cosméticos MAC, Clinique, La Mer e Aveda.

Agora, finalmente, chegou o tão aguardado acordo e a Estée Lauder vai adquirir a totalidade da empresa do designer norte-americano, num negócio avaliado em 2.800 milhões de dólares (2.685 milhões de euros). Compra, assim, os direitos de propriedade intelectual de todas as linhas da Tom Ford, não tendo de voltar a pagar royalties pela Tom Ford Beauty e podendo obter novas fontes de receita, ao conceder, ela própria, licenças para uso da marca.

O acordo prevê o prolongamento e expansão da licença concedida pela Tom Ford à Ermenegildo Zegna para as linhas de vestuário, acessórios e roupa interior. A licença atualmente concedida à Marcolin para os óculos Tom Ford também será prolongada.

Em comunicado, Tom Ford considerou que a Estée Lauder era “a casa ideal” para a marca:

“Eles têm sido um parceiro incrível desde o início do meu negócio e estou muito feliz por vê-los a tornarem-se nos luxuosos administradores deste novo capítulo da marca Tom Ford."

Nos termos do acordo, Tom Ford, fundador e presidente executivo (CEO) da Tom Ford International, irá manter-se como o responsável criativo da marca até final de 2023. Domenico De Sole, presidente (chairman) da Tom Ford International, permanecerá como consultor até à mesma data. A Forbes estima que Ford, de 61 anos, receba cerca de 1,1 mil milhões de euros com a venda, após a dedução dos impostos estimados.

Também em comunicado, a Estée Lauder refere que ficar “sob a [sua] gestão” permitirá “a continuidade e a evolução da marca Tom Ford” como uma das principais marcas de luxo do mundo. A empresa prevê que, dentro de dois anos, a Tom Ford Beauty atinja vendas de 1.000 milhões de dólares (959 milhões de euros), contando, sobretudo, com o sucesso dos seus perfumes de luxo nos Estados Unidos e na China.

A operação - a maior realizada até à data pelo grupo de beleza e ainda pendente das necessárias autorizações - deverá ficar concluída no primeiro semestre de 2023. Outros grupos estavam na disputa para comprar a Tom Ford, entre eles a francesa Kering, que já é dona das marcas Gucci, Saint Laurent e Balenciaga.

RELACIONADOS

Gourmet

Cinco vinhos para oferecer no Natal e fazer furor

  • 17 nov, 14:00
Redação

Na altura de escolher um vinho para oferecer ou beber em casa, estas cinco garrafas podem ser uma boa opção, com preços para todas as carteiras.

Coolhunting