Fotografia: Unsplash
Design e Artes

Escolhas Versa: três livros para ler em janeiro

Se não sabes o que ler no primeiro mês de 2023, recomendamos-te três livros com temas que vão desde a gastronomia à Inteligência Artificial.

O ano ainda agora começou, mas ainda há livros de 2022 por ler, como é o caso da biografia do ator norte-americano Matthew McConaughey, Luz Verde, ou do mais recente livro da investigadora e colecionadora Ana Marques Pereira, que revela a faceta desconhecida de gastrónomo do escritor Luís de Sttau Monteiro. O novo livro do ex-diretor da Google na China Kai-Fu Lee e do escritor de ficção científica Chen Qiufan AI 2041 (que aguarda tradução para português em fevereiro pela Relógio d'Água) mergulham-nos num cenário realístico em que a tecnologia de Inteligência Artificial já existente mina a vida em sociedade, aumentando a desigualdade mundial e é outra das sugestões de leitura.

 

AI 2041, Chen Qiufan e Kai-Fu Lee
Crown, €23,18

Kai-Fu Lee, ex-diretor da Google na China, e o escritor de ficção científica chinês Chen Qiufan projetam, neste livro, as potenciais implicações da Inteligência Artificial. O ano é o de 2041 e, através de dez contos passados em diferentes partes do globo, ficamos a conhecer cenários realísticos, mas nem por isso agradáveis. Se na Índia se vive num sistema de créditos, acentuando as desigualdades sociais, na China os efeitos psicológicos dos confinamentos impostos pela pandemia de 2020 fazem-se sentir numa personagem que tem medo de sair de casa e na Nigéria os deepfakes são uma ameaça generalizada. O interessante nesta obra é o facto de não se falar de tecnologia inexistente, mas, sim, de inovações que já fazem parte do nosso quotidiano, mas que podem não estar generalizadas na população. Daqui a 20 anos poderá não ser assim. O livro será editado em fevereiro em português pela Relógio d’Água.

 

Luís de Sttau Monteiro Gastrónomo, Ana Marques Pereira
Edição do autor, €26,10

Luís de Sttau Monteiro, um dos mais preponderantes autores de teatro nacional do século XX, foi também um dos gastrónomos mais acutilantes da sua geração, revela-nos o livro da investigadora Ana Marques Pereira, que resgata receitas e textos do autor publicados no semanário O Se7e, bem como notas de cadernos datilografados pelo escritor. Os seus textos, assinados muitas vezes por pseudónimos, dão a conhecer um homem conhecedor da gastronomia do seu país, que pretendia escrever uma História da Gastronomia.

 

Luz Verde, Matthew McConaughey 
Lua de Papel, €15,21

Na biografia de Matthew McConaughey – que em 2013 renasceu das cinzas, primeiro com a participação em O Clube de Dallas, filme que lhe valeu o Óscar de Melhor Ator, e, depois, com a prestação na aclamada primeira temporada da série True Detective (2014) –, ficamos a saber que o ator texano se catapultou para a fama como modelo de mãos, que a sua primeira relação sexual, aos 15 anos, revelou-se traumática ou que foi abusado sexualmente aos 18 anos por um homem, na parte de trás de uma carrinha quando estava inconsciente. Lançado em 2020, mas só em novembro passado traduzido para português, o livro de memórias de McConaughey dá a conhecer um lado mais pessoal do ator que nasceu fruto de uma gravidez não planeada. 
 

RELACIONADOS

Coolhunting

Georgina Rodríguez nunca perde a pose, nem nestes saltos de 12 cms

Quando visitamos parques de diversões, o look é sempre o menor dos problemas. Aliás, o único requisito é que seja confortável. Mas não para Georgina. Georgina usa stilettos.

Design e Artes