IGNAE
Nécessaire

IGNAE: A marca portuguesa que levou seis milhões de anos para nascer

Em entrevista à VERSA, marca de beleza explica como a natureza dos Açores se junta à biotecnologia de forma inovadora.

É interessante pensar que foram precisos 6 milhões de anos para o fabrico da Ignae, a marca que já leva o melhor dos Açores ao mundo. Isto porque a natureza açoriana é o verdadeiro laboratório e a fonte dos ingredientes-chave de uma nova geração de beleza – ou seja, cuidados de pele sustentáveis, limpos, vegan, transparentes, de alto desempenho transformadores e alimentados pela biotecnologia. 

Uma marca presente no mercado desde 2017 que fez agora um rebranding que a aproxima ao consumidor pela modernidade e consciência ecológica acrescida.

“Tiramos o melhor da natureza e potenciamo-la usando a ciência. Nos mais recentes produtos usamos botânicos dos Açores que são muito bons na regeneração da pele e o que fazemos com a tecnologia é “encapsular” esses ingredientes para que cheguem o mais natural possível quando são aplicados na nossa face. Trata-se de eficácia e como queremos ser um negócio global temos de assegurar que não interferimos no ambiente, com a nanotecnologia precisamos muito menos de biomassa para criar os produtos” explica Claire Chung Co-fundadora e Ceo da Ignae.

Tudo começa nos recursos naturais dos Açores - situados no meio do Oceano Atlântico, entre os EUA e a Europa, são constituídos por nove ilhas vulcânicas livres de poluição e repletas de ingredientes puros e raros que foram aproveitados através de biotecnologia patenteada. A ignae foi criada por Miguel Pombo, um especialista em fabrico de ingredientes internacionais e regulamentos da UE na área da beleza. Natural dos Açores, os seus largos anos de experiência levaram-no a identificar vários ingredientes no ecossistema das Ilhas que poderiam ser utilizados para a cura e regeneração da pele. Em parceria com Claire Chung, uma empresária à escala global com duas décadas de experiência no sector de luxo, lançaram a Ignae, uma marca portuguesa que já chega a vários mercados globais.

E a inovação contínua como nos explica a Ceo: ““Hoje não olhamos só para os ingredientes botânicos mas também para bactérias, processos sustentáveis, é muito interessante a fusão entre a ciência para otimizar o que se encontra de forma natural na natureza”.

 

A Ignae conduz a sua própria investigação biotecnológica, o Complexo EPC Factor® com patente pendente, resulta de anos de investigação avançada nos campos das ciências aplicadas para a utilização em cuidados de pele clinicamente comprovados. Os lipossomas à base de plantas atuam como um veículo de entrega que pode deslizar para além das barreiras da pele, permitindo o transporte de ativos poderosos para o interior da derme para uma rápida regeneração celular da pele. É usada a nanotecnologia para produzir lipossomas veganos e de beleza limpa para entregar os ativos. Centrada nos princípios da química verde, a ignae utiliza a biotecnologia para causar o menor impacto possível no ecossistema da ilha dos Açores. Complexo, tal como as fórmulas dos produtos Ignae.

“Tentámos criar a partir da natureza algo com valor, criar emprego local, trabalhamos em parceria com a Universidade dos Açores ajudando com fundos para investigação. Trata-se de inovação, como usar processos sustentáveis porque estamos a trabalhar com a mãe natureza e como criar produtos de valor acrescentado. E acho que em termos de indústria há atualmente esta procura de produtos sustentáveis e com eficácia.”

Uma marca de luxo made in Portugal que acompanha as tendências no mercado da beleza e os novos comportamentos dos consumidores. “O que é muito interessante de ver, por exemplo, no mercado americano é esta mudança para a Clean Beauty, as fórmulas não podem ter potenciais ingredientes que façam mal à pele. A Ignae usa dimeticona, que é usada em marcas de beleza limpa, não são usados silicones nos produtos da nossa marca. E vemos crescer esta procura por ingredientes botânicos que se ligam à ciência. O que nos diferencia é termos tudo isso associado à biotecnologia e com resultados clínicos comprovados. As novas gerações, millennials e Z’s, só procuram marcas Clean Beauty ou não usam, têm muito mais consciência e estes consumidores emergentes estão por todo o mundo”.

Os tratamentos de Spa Ignae estão disponíveis no Hotel Four Seasons Ritz em Lisboa e no Hotel Terra Nostra Garden em São Miguel, Açores. 

RELACIONADOS

Uma salva de palmas para a chef Marlene Vieira

A chef Marlene Vieira só podia estar de parabéns. O seu restaurante Marlene leva-a finalmente a outro patamar do fine dinning e coroa o seu talento para transformar memórias e produtos da época em momentos de prazer.

Nécessaire