Harry Styles ao vivo em Portugal. Fotografia: @lifewithlaurel
Design e Artes

Harry Styles, de astro teen a fenómeno mundial da pop

Se em tempos, enquanto integrava os One Direction, era a crush dos adolescentes, hoje, é um artista multifacetado que deixa muito pouca gente indiferente à sua arte.

Estreou-se em Portugal a título individual na noite de 31 de julho. Foi um momento apoteótico, arrepiante e muito ensurdecedor – do início ao fim, Harry Styles teve a Altice Arena a cantar todas as suas músicas. Esperamos dois anos para podermos ouvir temas como Sign of the Times, Kiwi, Treat People With Kindness e Lights Up, os grandes êxitos dos primeiros dois lançamentos de Harry Styles, à setlist juntou grande parte do seu novo trabalho discográfico, o Harry’s House.

Dos One Direction à carreira a solo

Se ainda fazes parte do grupo de pessoas que tem alguma dificuldade (ou devo dizer, arrogância) em lhe reconhecer o mérito, atentemos no percurso de Mr. Styles.

“Sou o Harry Styles, tenho 16 anos e trabalho numa padaria aos sábados.” Foi com estas palavras que Styles se apresentou, em 2010, ao mundo quando se apresentou nas audições da versão britânica do concurso de talentos The X Factor. Durante a participação no concurso, o destino ditou que integrasse uma boy band, os One Direction, que levou o mundo teen a uma febre coletiva de histerismo.

Depois de cinco anos a viver debaixo do escrutínio público, a banda entra num hiato indefinido e Harry Styles começa a sua jornada a solo. Esteve dois anos perdido em combate, com raras aparições públicas. Umas merecidas férias? Talvez sim, talvez não. Em 2017 estreia-se a solo com um álbum homónimo. As fiéis seguidoras dos One Direction seguiram-lhe os passos, mas com uma sonoridade mais madura conseguiu captar a atenção de um público mais eclético e adulto.

A grande consolidação deu-se no segundo álbum, Fine Line, de 2019, e o apogeu decorre ao momento em que escrevo este artigo, com o mais recente Harry’s House.

Afinal, o que é que Harry Styles tem?

E voltando à noite de ontem, vivido na primeira pessoa, aquilo que Harry Styles tem é uma verdadeira aura de artista, mas que deixa de lado a arrogância e o pedestal de lado quando se movimenta, com grande genica, em palco. É atencioso para com o seu o público, interage com os milhares que o têm acompanhado nesta Love On Tour.

Além de tudo isto, tem uma voz que dificilmente confundimos e uma presença muito própria, estética e não só. Sobre aquilo que veste, que é uma temática que tanta controvérsia levanta, numa entrevista ao The Guardian afirmou: “O que as mulheres vestem. O que os homens vestem. Para mim, isso não é uma questão. Se vejo uma T-shirt de que gosto e me dizem ‘é para mulher’ eu penso ‘okaaaaay? Não me vai fazer não querer vesti-la’. Acho que no momento em que te sentes confortável contigo, é quando tudo se torna mais fácil.”

Se ainda assim continuas reticente sobre este fenómeno pop, deixo-te aqui algumas músicas, que infelizmente não foram singles, para deixares de lado todo esse preconceito: From the Dining Table, To Be So Lonely, Fine Line, Satellite e Love Of My Life.

RELACIONADOS

Design e Artes

Quando for grande, o Instagram quer ser o TikTok. Mas nós boicotámos o futuro

“Make Instagram Instagram Again” é o novo grito de revolta dos internautas que apelam às antigas funcionalidades do Instagram. Em poucos dias, tudo aconteceu e a revolução cibernética está a ver resultados.

Design e Artes