Fotografia: Unsplash
Nécessaire

Homens, vamos lá falar de sex toys

Estamos em 2022 e os sex toys masculinos não podem ser o tabu. Não vamos comprometer o nosso prazer devido aos estigmas associados a estas brinquedos, certo?

Não nos atirem pedras por estarmos a dirigir-nos aos homens apenas, mas quem vos escreve não tem qualquer conhecimento sobre a anatomia feminina. Feito o disclaimer inicial, está na hora de pôr as mãos a trabalhar.

Nos últimos dois anos, para quem estava solteiro a vida complicou-se um bocadinho (culpada: Covid-19). Dissemos adeus aos encontros do Tinder, do Bumble e do Grindr. A vida de encontros pode ter ficado on hold, mas a nossa libido não ficou. A masturbação foi a nossa salvação. Mas, na verdade, não tínhamos que ficar completamente sozinhos, bastava pegar num sex toy e elevar o prazer sexual.

Podemos todos concordar que depois de um dia stressante de trabalho, por exemplo, descomprimir está no topo da nossa lista de prioridades. Porque não preparar um cocktail caseiro e criar um ambiente propício a uma longa, intensa e satisfatória sessão de amor-próprio. Não esquecer que não há julgamentos, há apenas prazer.

O estado civil não interessa para esta equação, porque o prazer individual deve continuar a ser uma prioridade mesmo quando não se está solteiro. Se é um novato, bem-vindo ao mundo encantado e prazerosos dos sex toys. Se está à procura de uma nova aquisição, basta percorrer a nossa galeria de imagens.

Dos massageadores aos estimuladores de próstata, dos dildos aos vibradores, dos cockrings às masturbations sleeves, o prazer está à distância de um clique.

RELACIONADOS

Nécessaire

Quantos dias são precisos para mudar um hábito? Fomos descobrir, na primeira pessoa!

‘Quero deixar de comer açúcar.’ ‘Gostava de me deitar mais cedo.’ Estas frases são-lhe familiares? A nós também: com base na teoria dos 21 dias, a VERSA aceitou mudar os seus hábitos e reportar todas as dificuldades e conquistas que, no final do dia, são mais do que números. Todos os sábados publicamos as nossas conclusões.

Nécessaire